Internacional

Catar é porta de entrada para diversificar negócios com o Oriente Médio,diz Lula

Publicado

em

Para Lula,  Presidente discursou na abertura do Fórum Econômico Brasil – Catar nesta quinta-feira, antes do embarque para Dubai, onde participa da COP 28

 

Ao discursar nesta quinta-feira (30/11) na abertura do Fórum Econômico Brasil – Catar: Oportunidades e Negócios, em Doha, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou o interesse brasileiro em estreitar relações comerciais com os catarianos ao mesmo tempo em que espera que o país do Oriente Médio diversifique sua pauta de investimentos no Brasil.

Há amplo espaço para diversificação de nossa pauta comercial com produtos de maior valor agregado, como autopeças, produtos de defesa e aeronaves da Embraer” Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República

“Queremos olhar juntos para o futuro e atrair uma nova onda de investimento para o Brasil. O nosso comércio bilateral cresceu de maneira exponencial, passando de cerca de 38 milhões de dólares em 2003 para os atuais 1,6 bilhão de dólares. O Catar é, atualmente, uma de nossas principais portas de entrada para negócios com o Oriente Médio e conta com vibrante empresariado com intenso interesse pelo Brasil”, afirmou.

» Íntegra do discurso do presidente Lula

Lula ressaltou que enxerga boas oportunidades nos campos de defesa, aviação e autopeças. “Há amplo espaço para diversificação de nossa pauta comercial com produtos de maior valor agregado, como autopeças, produtos de defesa e aeronaves da EMBRAER – como o C-390 que me trouxe a Doha”, exemplificou.

READ  Lei transforma mestre-sala e porta-bandeira em patrimônio do Rio

Depois da participação no fórum, Lula fez uma visita oficial ao Emir do Catar, Xeque Tamim bin Hamad Al-Thani. O presidente segue ainda nesta quinta-feira de Doha para Dubai, nos Emirados Árabes, onde participa da COP 28, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Lula ressaltou que o Brasil pretende se consolidar como um dos protagonistas na transição global em curso rumo a uma economia sustentável.

“A transição energética é nova oportunidade de repetir essa história de sucesso nas áreas de energia de baixo carbono, reaproveitamento de resíduos, infraestruturas verdes e sociobiodiversidade. O Brasil vai ser em breve um exportador de sustentabilidade. Temos imenso potencial nos setores de energia solar, eólica, biocombustíveis e hidrogênio verde. Na COP 28, lançarei um chamado à ação e à ambição no enfrentamento à crise climática. Estou certo de que o Catar também poderá ser um aliado importante nessa agenda”, declarou Lula.

 

President Lula was also received by the Emir of Qatar, Tamim bin Hamad Al-Thani. Photo by Ricardo Stuckert / PR

President Lula was also received by the Emir of Qatar, Tamim bin Hamad Al-Thani. Photo by Ricardo Stuckert / PR

O Brasil pode ser o país com melhores condições de investimentos sustentável no mundo, tanto do ponto de vista social quanto do ponto vista ambiental”

Fernando Haddad, ministro da Fazenda

INVESTIMENTOS – O ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, comandou uma apresentação a empresários e líderes do Catar na abertura do fórum. Ele apresentou os investimentos de US$ 347 bilhões previstos em infraestrutura via Novo PAC, destacou a Agenda Verde e como o país já trabalha na transição para uma economia sustentável, e frisou oportunidades de investimento no país em áreas como ferrovias, rodovias, hidrovias, portos e aeroportos, além da perspectiva de recuperar 40 milhões de hectares para dobrar a produção de alimentos em dez anos.

Ao fim do evento, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, exaltou a capacidade de atração de investimentos do Brasil em projetos ligados à sustentabilidade. “O Brasil pode ser o país com melhores condições de investimentos sustentável no mundo, tanto do ponto de vista social quanto do ponto vista ambiental”, frisou o ministro.

Segundo ele, a viagem ao Catar tem boas chances de atrair novos parceiros para o Brasil, a exemplo do que ocorreu na Arábia Saudita. “São quase 50 bilhões de reais que a Arábia Saudita pretende investir no Brasil. Isso vai melhorar logística, produtividade da economia brasileira, gerar empregos. Com o Catar estamos começando uma negociação. No caso da Arábia Saudita já está adiantada e o fundo que o Reino pretende constituir já está em curso. O Catar é boa promessa”, encerrou Haddad.

Comentários do Facebook
Propaganda

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA