Meio Ambiente

Barragens cadastradas no sistema de segurança chegam a 53 mil

Publicado

em

Chegou a 53 mil o número de barragens cadastradas na Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad). Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (2). O cadastro é obrigatório, gratuito e 100% on-line.

 

Com as informações disponibilizadas pelos proprietários, o governo monitora a situação dos barramentos e toma medidas com objetivo de reduzir riscos.

 

Os municípios com mais barragens cadastradas são:

 

Porangatu (2.132),

Crixás (2.096),

Nova Crixás (1.668),

Mara Rosa (1.449),

São Miguel do Araguaia (1.410),

cidade de Goiás (1.057),

Morrinhos (1.046),

Jaraguá (766),

Rio Verde (755) e

Araguapaz (743).

 

O principal uso declarado para essas barragens é abastecimento de água (11.932), seguido por regularização da vazão (7.457), combate às secas (4.590), irrigação (2.721), proteção do meio ambiente (2.352), aquicultura (1.222) e recreação (1.080).

 

REGULARIZAÇÃO

 

O prazo para fazer o cadastro no Sistema Estadual de Segurança de Barragens (Seisb) foi até dia 30 de abril, mas o sistema permanece aberto.

 

Além de cadastrar no Seisb, os donos de barragens precisam requerer a outorga ou a dispensa de outorga até o dia 31 de maio de 2024. Outorga é o documento da administração pública que autoriza a captação de água.

READ  Segurança: cuidados para evitar choque elétrico

 

As barragens com até 1,2 hectare e três metros de altura são dispensadas de outorga. O pedido de dispensa deve ser feito no WebOutorga, após cadastro no Seisb.

 

LICENCIAMENTO CORRETIVO

 

O terceiro passo é solicitar o licenciamento corretivo, caso o barramento não seja licenciado. A Lei 22.368 prevê que quem instalou barragem até 27 de dezembro de 2019 e pedir licenciamento corretivo na Semad até 31/12/24 terá 100% de desconto nas multas decorrentes da falta de licença.

 

Quem instalou a barragem de 27/12/19 a 14/12/23 e pedir licenciamento corretivo na Semad até 31/12/24 terá desconto de 50% nas multas por falta de licença.

 

O valor da taxa de licença corretiva varia de acordo com o porte da barragem. De 0,1 a cinco hectares, por exemplo, custa R$ 288. A Semad também esclarece que tanques escavados não precisam de descarga de fundo, nem de cadastro (porque não são considerados barramentos).

 

A secretaria disponibiliza contatos para tirar dúvidas. A gerência que cuida dos cadastros no Seisb atende pelo e-mail [email protected]. A gerência que trata das licenças tem um canal de Whatsapp (62) 99101-8714 e a equipe de outorga está disponível pelo número (62) 9 8425-9666.

READ  Ex-governador Sérgio Cabral volta ao presídio de segurança de Gericinó

 

Comentários do Facebook
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA