Agro

No Rio Janeiro, Caiado defende agronegócio brasileiro e critica interferência europeia

Publicado

em

Junto a governadores do Centro-Oeste e do Norte e líderes empresariais, governador de Goiás destaca produção baseada em pesquisa e respeito ao meio ambiente em evento do LIDE Brasil

Um dos expositores do painel “A nova realidade do agro brasileiro”, no 22º Fórum Empresarial LIDE, no Rio de Janeiro, o governador Ronaldo Caiado apresentou as potencialidades do estado, pontuou a produtividade agrícola “com tecnologia e qualificação” e defendeu o agronegócio brasileiro, que obedece a regras rígidas estabelecidas no Código Florestal Brasileiro (CFB). A participação do chefe do Executivo ocorreu na tarde desta quinta-feira (29/06).

Governador Ronaldo Caiado participa de fórum empresarial no Rio de Janeiro e defende agro brasileiro, produzido com base em rígidas leis ambientais

Governador Ronaldo Caiado participa de fórum empresarial no Rio de Janeiro e defende agro brasileiro, produzido com base em rígidas leis ambientais

“O segredo da nossa produtividade é a tecnologia e a qualificação. Acredito nisso e na pesquisa. Foi o que deu ao Brasil e ao Cerrado a oportunidade de ser referência na produção do agronegócio”, enfatizou Caiado para explicar que toda produção no país ocorre dentro de normas do CFB. Ele criticou lei da União Europeia, que segundo o governador, quer legislar no Brasil. “Isso nos impõe sérias penalidades e descumpre o que trabalhamos durante 24 anos (Código Florestal), e vai nos impor gastos altíssimos”, afirmou.

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, também defendeu as leis brasileiras. “Não podemos ser submetidos à lei europeia. Isso é um desrespeito ao Congresso e ao Código Florestal, que tem a norma ambiental mais restritiva e mais protetiva ao meio ambiente”, sublinhou. “O que temos no Brasil, nenhum país relevante tem em termos de proteção ao meio ambiente”, completou Mendes.

READ  Prefeitura do Rio de Janeiro retoma serviços do portal Nota Carioca

“Nossa agricultura é baseada na pesquisa, em qualidade e tem grande capacidade de competitividade com o mundo”, reafirmou Caiado, que ainda estava ladeado dos governadores Eduardo Riedel (Mato Grosso do Sul) e Gladson Cameli (Acre), além do vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Ingo Ploger; do presidente da John Deere América Latina, Antonio Carrere; do diretor da Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente (Anamma), Mario Mantovani; e do presidente do Conselho de Administração da Cocamar, Luiz Lourenço.

Ainda participaram do painel o CEO do Grupo Brasil BioFuels (BBF), Milton Steagall; o jornalista e presidente do LIDE Conteúdo, Carlos José Marques; e o presidente do LIDE Agronegócios, Francisco Matturro. Considerado um dos mais representativos encontros empresariais do Brasil, o Fórum reúne integrantes das maiores empresas do país e autoridades públicas de todas as esferas para uma agenda nacional de debates sobre desenvolvimento socioeconômico, gestão, políticas públicas e sustentabilidade.

Eliminação de tarifas
Durante o Fórum, o governador Ronaldo Caiado reforçou que em todo país há um ambiente propício para o aumento das exportações a partir do agronegócio, no entanto, defendeu que é preciso superar alguns desafios. “Precisamos reduzir as barreiras tarifárias e garantir competitividade no mercado internacional”, disse ao explicar que o país precisa de mais acordos comerciais e ter acesso a tarifa zero nas exportações.

READ  Para garantir a qualidade do produto que chega à população, Agrodefesa apreende seis toneladas de carne impróprias para consumo em Goiânia

De acordo com Caiado, mesmo com pouco tratados, o Brasil concorre de forma igual com outras nações exportadoras que contam com o benefício da alíquota zero. “Pagamos altos valores de tarifa e ainda assim somos um dos maiores exportadores do mundo”, considerou.

Cenário Goiano
No Fórum, Caiado também apresentou os dados de Goiás, que mostram que o Valor Bruto da Produção (VBP) na agropecuária teve um aumento de 3%, alcançando R$ 107,1 bilhões em 2022. O mesmo movimento também foi registrado nas exportações, que tiveram elevação de 62,8% no mesmo período.

Para continuar com bons números e avançar ainda mais, o Governo de Goiás deve investir R$ 12 bilhões em infraestrutura até 2026. O que vai contemplar 5 mil quilômetros de novas rodovias, duplicações e restaurações; e a construção e substituição de 8 mil pontes.

Além disso, Caiado destacou a conclusão da Ferrovia Norte-Sul que tem 628 quilômetros em Goiás e a construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que ligará Mara Rosa a Vilhena, em Rondônia.

Fotos: Bruno Kawata e Fredy Uehara / Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

 

 

Comentários do Facebook
Propaganda

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA