Justiça

Combate a crimes contra crianças e adolescentes é tema da campanha Brasil Unido Contra o Crime

Publicado

em

Vídeos, anúncios, peças digitais e spots de rádio reúnem as principais ações e resultados em torno do tema da segurança pública

Os resultados das atuações de combate aos crimes contra crianças e adolescentes e as prisões de agressores de mulheres são os temas de mais um vídeo da Campanha Brasil Unido Contra o Crime. A produção está sendo veiculada a partir deste sábado, 3 de fevereiro.

O vídeo abre com uma pergunta: “Você sabia que o Governo aumentou em 124% as operações de combate aos crimes digitais contra crianças e adolescentes?“. Em seguida, o narrador informa que mais de 1.600 investigados por pedofilia e exploração sexual de crianças foram presos em 2023. Assista o novo vídeo da campanha:

A produção também dá ênfase a alguns dos resultados da Operação Átria, a maior já realizada no país no combate à violência contra a mulher. Numa parceria entre Governo Federal, estados e municípios, foram presos 9.300 agressores de mulheres em todo o país. “Isso é o Brasil Unido Contra o Crime”, finaliza o narrador.

READ  Ministro Marcos Pontes diz que Brasil será grande produtor de vacinas

A campanha do Governo Federal foi lançada na última quarta-feira, dia 31 de janeiro, e tem o objetivo de dar visibilidade a dados e ações na segurança pública no país. O conjunto de peças envolve vídeos para televisão, anúncios para veículos impressos, banners e posts para divulgação em redes sociais e spots de rádio.

O lançamento ocorreu no mesmo dia em que o Ministério da Justiça e Segurança Pública fez um balanço das ações realizadas em 2023. Entre os dados apresentados destaca-se a queda de 4,17% nos crimes violentos intencionais em relação a 2022 (com o número de assassinatos no menor patamar em 13 anos), a queda de 40,9% nos roubos a instituições financeiras que alimentam o “novo cangaço” e a redução de 10% no roubo de veículos.

Outros dados simbólicos são um total de R$ 897 milhões em bens e valores apreendidos no combate à corrupção e o crescimento de 25% no número de apreensões de armas ilegais. Houve também um aumento de 27% nos valores repassados aos estados e municípios a partir do Fundo Nacional de Segurança Pública, numa ampliação da parceria entre governo, estados e municípios.

Comentários do Facebook
Propaganda

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA