Search
Close this search box.

Internacional

Brasil envia nova carga de ajuda humanitária à população de Gaza

Publicado

em

Aeronave cedida pela Presidência decolou nesta segunda (30/10) com destino ao Egito com 1,5 tonelada de arroz, açúcar, derivados de milho e leite
Uma aeronave VC-2 da Presidência da República decolou às 19h32 desta segunda-feira, 30 de outubro, de Brasília rumo ao Egito. Na bagagem, 1,5 tonelada de alimentos destinados à população da Faixa de Gaza. Os alimentos foram oferecidos pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

O VC-2 vai substituir outra aeronave presidencial de mesmo porte que está no Cairo há duas semanas, mas tem manutenção programada no Brasil agendada para os próximos dias e precisa retornar. Assim, após concluir a entrega dos alimentos, o avião que decolou nesta segunda do Brasil ficará à disposição no Egito para repatriar o grupo de brasileiros que aguarda a abertura da fronteira em Gaza.

O carregamento enviado é destinado à assistência humanitária da população na região da Faixa de Gaza. A carga é composta de arroz, açúcar, derivados de milho e leite e partiu do Brasil com destino ao Egito, onde será entregue às autoridades responsáveis por transportá-la até Gaza.

Essa é a segunda missão da Operação Voltando em Paz em que houve envio de itens de assistência humanitária. A primeira foi realizada em 18 de outubro, quando o VC-2 pousou no Aeroporto Internacional de Al-Arish, no Egito, com equipamentos de filtragem de água e kits de saúde.

A carga continha 40 purificadores de água com capacidade de tratar mais de 220 mil litros por dia. Com tecnologia e fabricação brasileiras, os equipamentos são capazes de remover 100% de vírus e bactérias da água. O acesso à água potável é uma das maiores dificuldades enfrentadas hoje pela população da Faixa de Gaza.

READ  Alemanha adota restrições mais duras em batalha contra a pandemia

Além disso, foram desembarcados dois kits de saúde. Cada um atende até 3 mil pessoas ao longo de um mês. Eles são compostos por medicamentos e insumos, como anti-inflamatórios, analgésicos, antibióticos, além de luvas e seringas. Ao todo, são 48 itens em cada kit, com um total de 267 quilos de materiais.

O material, após ser conferido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros do Egito, foi entregue ao Crescente Vermelho, movimento humanitário não vinculado a qualquer Estado e fundado em Genebra, na Suíça, em 1863, que assumiu a responsabilidade de coordenar a logística de transporte, o cruzamento da fronteira e as entregas em Gaza.

ANSIEDADE – Atualmente, um grupo de cerca de 30 brasileiros aguarda a abertura da fronteira de Gaza com o Egito para ser repatriado para o Brasil. De acordo com o embaixador Alessandro Candeas, responsável pela representação do Brasil em Ramala, na Cisjordânia, a crise humanitária tem se intensificado e a situação nas cidades de Khan Yunis e Rafah, onde estão os brasileiros, é preocupante.

Aeronave presidencial sendo carregada com os kits de ajuda humanitária para serem levados a Gaza. Foto: GOV BR / FAB

Aeronave presidencial sendo carregada com os kits de ajuda humanitária para serem levados a Gaza. Foto: GOV BR / FAB

“Estamos lutando para que os brasileiros não sejam afetados pela catástrofe humanitária que assola Gaza. Alugamos casas e conseguimos enviar recursos para que comprem alimentos, água, gás e remédios no precário mercado local. Estamos oferecendo apoio de psicóloga e médico a distância. Infelizmente, as perspectivas são de rápida degradação das condições de vida e segurança”, afirma Alessandro Candeas.

A expectativa do Governo Federal é que a fronteira com o Egito possa ser aberta o quanto antes para que os brasileiros possam chegar ao Cairo de onde embarcarão para o Brasil em mais um voo da Operação Voltando em Paz. “Os brasileiros têm que ser autorizados a sair o mais rápido possível pelas partes envolvidas, para retornarem a salvo ao Brasil”, ressalta o embaixador.

READ  Governo de Goiás envia bombeiros militares para atuarem em Pernambuco

1.413 REPATRIADOS – Até aqui, a operação Voltando em Paz do Governo Federal já garantiu o retorno seguro de 1.413 passageiros, em oito voos vindos de Israel comandados pela Força Aérea Brasileira. Do total, 1.410 eram brasileiros e três eram bolivianas, além de 53 animais de estimação.

ARTICULAÇÃO – A diplomacia brasileira e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva seguem diretamente envolvidos em tratativas para garantir ajuda humanitária na região, por negociar um cessar-fogo e para possibilitar a abertura da fronteira para que brasileiros, outros estrangeiros e civis que queiram se afastar da zona de conflito tenham essa possibilidade.

O Brasil preside em outubro o Conselho de Segurança da ONU e tem atuado de forma reiterada para tentar aprovar uma resolução consensual que ajude a levar ao diálogo e à paz na região. Nesta segunda-feira (30/10) mais um passo nesse processo foi dado, com mais uma reunião de emergência para tentar buscar esse consenso.

Desde o início do conflito, em 7 de outubro, o presidente Lula já teve diálogos por telefone com dirigentes dos Emirados Árabes Unidos, de Israel, da Palestina, do Egito, da França, da Rússia, da Turquia, do Irã, do Catar e do Conselho Europeu.

O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, também se envolveu em diálogos com os chanceleres de Israel e Egito, responsáveis pela fronteira. “A questão está sendo tratada no nível político máximo. A plena abertura de um corredor humanitário pela ONU deve contribuir. Há centenas de estrangeiros na mesma situação dos brasileiros”, frisa Candeas.

Comentários do Facebook
Propaganda

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA