Cultura

AUDIOVISUAL: MinC lança Filme Cultura 64 durante Mostra-Debate Cinemas Negros

Publicado

em

Programação integra ações do Novembro Negro e trará filmes e pessoas realizadoras contempladas em editais da política afirmativa da SAV

Nos dias 18, 19 e 20 de novembro, no Cine Brasília (DF), será realizada a Mostra-Debate Cinemas Negros, uma parceria entre a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAV), o Cine Brasília e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. Nos três dias, a programação do evento contará com mesas de debate, sempre às 16h30, e sessões de filme às 20h. A ministra da Cultura, Margareth Menezes, participa da cerimônia de abertura, às 20 horas. A Mostra-Debate trará filmes e pessoas realizadoras contempladas em editais da política afirmativa da SAV.

No evento, que integra a agenda de ações do Novembro Negro, será lançada a edição 64 da revista Filme Cultura, que aborda o cinema realizado por pessoas negras no Brasil, além de destacar a importância dessa representação no audiovisual nacional. Além disso, o evento marca o ressurgimento da revista após o período de interrupção devido a desafios políticos e culturais vivenciados nos últimos anos.

Para a secretária do Audiovisual, Joelma Oliveira Gonzaga, “a retomada da revista Filme Cultura, após ter sido paralisada por cinco anos, é um ato de resistência cultural. Realizar o seu lançamento juntamente com a Mostra-Debate Cinemas Negros é fundamental para que possamos refletir sobre políticas públicas afirmativas estruturantes para o setor”.

Filme Cultura-Cinemas Negros

Em junho de 2018, foi lançada a chamada pública de textos para a produção da edição nº 64 da revista. Era a terceira publicação do periódico centrada em apenas um tema, tecendo diversas possibilidades de abordagem, vozes e mergulhos sobre o cinema e o audiovisual nacional. Depois de abordar o cinema infantil (nº 62) e o de mulheres (nº 63). Com a retomada do Ministério da Cultura, em 2023, a revista também renasce, mais uma vez. Assim, a edição 64 vem sendo construída há cinco anos.

Para tratar do tema Cinemas Negros, esta edição, além de sua Comissão Editorial, instituiu um Conselho Editorial, com o intuito de validar os textos e de construir em conjunto a publicação. O Conselho da revista nº 64 é formado por Joel Zito Araújo, Viviane Ferreira e Márcia Uchôa, nomes que representam o pensar, o fomentar e o fazer audiovisual brasileiro. A edição aborda diversas facetas do cinema negro brasileiro, desde políticas afirmativas até a análise crítica de importantes obras e realizadores do cinema negro. Além de destacar a relevância de eventos como o Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul e marcos de movimentos cinematográficos como o Dogma Feijoada e o Manifesto de Recife.

Explorar narrativas pessoais fortes sobre a experiência de ser uma pessoa negra no Brasil e sobre fazer cinema sendo uma pessoa preta também é uma proposta desse lançamento. “O pensamento crítico faz parte da história do cinema – ao mesmo tempo que reflete sobre o fazer audiovisual, também preserva a sua memória”, afirmou a diretora de Preservação e Difusão da Secretaria do Audiovisual, Daniela Fernandes.

READ  Plano de vigilância de doenças e cadeia de suínos em debate

A revista traz textos de importantes nomes do cinema nacional, como: Gabriel Martins, diretor do filme Marte Um, consagrado pela crítica e selecionado para ser a obra brasileira a tentar uma vaga no Oscar. Vencedor de oito prêmios no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2023. O filme foi realizado como resultado da política afirmativa desenvolvida pelo MinC, por meio do edital de Longa Afirmativo 2016.

Joel Zito Araújo: além de membro do Conselho Editorial, escreveu artigo O tenso enegrecimento do cinema brasileiro, que trata de uma forma sistêmica sobre a relação entre a política de cotas nas universidades e os cinemas negros no Brasil.

Carol Rodrigues: cineasta reconhecida e que traz a visão do audiovisual para libertar as dores das mulheres negras.

Edileuza Penha de Souza: historiadora, professora, militante e difusora do movimento das mulheres negras. Ela escreveu um texto sobre a importância dos festivais de cinemas negros como pontos de virada na representação e na representatividade de pessoas negras no audiovisual.

Noel dos Santos Carvalho: sociólogo e professor de cinema da UNICAMP. Organizou o livro Cinema negro brasileiro (2022).

Joelma Oliveira Gonzaga: Secretária do Audiovisual, que traz uma visão íntima da sua relação com o cinema.

Mostra-debate Cinemas Negros

Junto ao lançamento da edição 64 da revista Filme Cultura, a SAV apresenta a Mostra-Debate Cinemas Negros, que acontece no Cine Brasília, de 18 a 20 de novembro, sempre com sessão às 20 horas. Também serão realizados debates, às 16h30.

Para a Mostra, foram selecionados longas e curtas-metragens contemplados em políticas afirmativas para o audiovisual da SAV. Serão apresentados três longas fomentados pelo Edital de longa-metragem de Baixo Orçamento Afirmativo (2016): Marte Um, de Gabriel Martins; Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira; e Cabeça de Nêgo, de Déo Cardoso.

Além desses, a Mostra traz os seguintes curtas: A boneca e o silêncio, de Carol Rodrigues; Cinzas, de Larissa Fulana de Tal; Preto no Branco, de Valter Rege; e UrSortudo, de Janú Ário Jr. Para o Diretor de Formação e Inovação Audiovisual, Rodrigo Antonio, “é preciso repensar as metodologias do fazer cultural, encontrar formas mais afetivas e efetivas de construir e de pensar o audiovisual feito e representado por pessoas negras”.

Revista Filme Cultura

A revista Filme Cultura, que vem sendo editada desde 1966, porém com inúmeras pausas, apresenta artigos sobre estética e técnica audiovisual, ensaios, reportagens, depoimentos, entrevistas, legislação e material iconográfico. No final de 2016, a publicação foi resgatada pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, com as edições nº 62 e 63, sobre cinema infantil e de mulheres, respectivamente. Na época, atualizamos o modelo de gestão da revista, valorizando a democratização e a pluralidade de vozes, estimulando a reflexão e a crítica audiovisual nos seus diversos aspectos e visões. Desde então, lançamos uma chamada pública de textos para compor a revista – de forma ampla e acessível.

READ  Último dia de mostra sobre cinema na Estação 106 Sul

A seleção é feita por uma Comissão Editorial permanente e validada por um Conselho Temático formado por especialistas a cada edição. Para a edição 65, o tema escolhido foi Cinema Mais: o audiovisual LGBTQIA+. O Conselho Editorial é composto por: Denilson Lopes, professor e pesquisador do cinema queer; Caia Coelho e Pethrus Tibúrcio, responsáveis pela criação da Teletrans, plataforma que cataloga e divulga filmes feitos por pessoas trans; Mariana Braga, Assessora de Participação Social e Diversidade do Ministério da Cultura; e Danielle Brígida, Diretora de Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+ da Secretaria Nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+ do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania.

Veja a programação:

Dia 18

16h30 – Políticas afirmativas no campo da Educação e da Cultura: reverberações para o audiovisual brasileiro

  • Assessora de Participação Social e Diversidade do Ministério da Cultura, Mariana Braga Teixeira
  • Gerente de licenciamento da todesplay (APAN), Rafael Ferreira Nzinga
  • Cineasta, pesquisador e integrante do Conselho Editorial da revista FC 64, Joel Zito Araújo

Mediação: Rodrigo Antonio

20h – Cerimônia de Abertura: Lançamento da revista Filme Cultura 64 – Cinemas Negros e abertura da Mostra-Debate Cinemas Negros

  • Ministra da Cultura, Margareth Menezes
  • Secretária do Audiovisual do Ministério da Cultura, Joelma Gonzaga
  • Diretora Técnica da Cinemateca Brasileira, Gabriela Queiroz
  • Conselheiro da Filme Cultura 64, Joel Zito Araújo
  • Gerente de licenciamento da todesplay (APAN), Rafael Ferreira

Exibição:

Longa-Metragem Marte Um (2022, 115′), de Gabriel Martins

Dia 19

16h30 – Cinema, pensamento e pesquisas artísticas negras: por uma afirmação de metodologias afrocentradas

  • Diretor de Formação e Inovação, Rodrigo Antonio
  • Separ/MIR, Marina Farias
  • Jornalista, pesquisadora e professora, Maíra Brito
  • Cineasta, Carol Rodrigues
  • Cineasta, Larissa Fulana de Tal

Mediação: Adriana Gomes

20h Exibição
A boneca e o silêncio (2015, 19’), de Carol Rodrigues
Cinzas  (2015, 15’), de Larissa Fulana de Tal
Um dia com Jerusa (2020, 74’), de Viviane Ferreira

Dia 20

16h30 – Mensuração dos impactos das políticas públicas afirmativas para o audiovisual

  • Doutoranda e servidora da SAV, Ana Paula Sylvestre
  • Pesquisador de cinema negro e servidor da Ancine, Gledson Mercês
  • Pesquisadora do IFB, Juliana Lopes
  • Cineasta, Valter Rege
  • Cineasta, Janú Ário Jr.

Mediação: Daniela Fernandes

20h Exibição
Preto no Branco (2017, 15’), de Valter Rege
UrSortudo (2016, 15’), de Janú Ário Jr.
Cabeça de Nêgo (2020, 86’), de Déo Cardoso

Serviço
Lançamento Filme Cultura 64 e Mostra-Debate Cinemas Negros
Data: 18 a 20 de novembro de 2023
Local: Cine Brasília (Asa Sul EQS 106/107 – Brasília, DF)
Debates: 16h30
Sessões de filmes: 20 horas

Comentários do Facebook
Propaganda

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA