Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Agronegócio

Abate de bovinos chega a 1 milhão de cabeças em Goiás

Publicado

em

Goiás alcança marco histórico no setor pecuário ao registrar o abate de 1 milhão de cabeças de bovinos no primeiro trimestre do ano, representando o maior volume já registrado na série histórica. Os dados constam na Pesquisa Trimestral da Pecuária, divulgada nesta quinta-feira (06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

O resultado expressivo demonstra um crescimento de 8,6% em relação ao trimestre anterior (923,7 mil cabeças) e um aumento ainda mais significativo de 35,6% em comparação ao mesmo período de 2023 (739,5 mil cabeças).

 

BOVINOS

“Este recorde no abate de bovinos é um reflexo direto do trabalho conjunto entre o Governo de Goiás e os produtores rurais. As políticas públicas de incentivo à pecuária, como investimentos em infraestrutura, sanidade animal e assistência técnica têm sido fundamentais para fortalecer a cadeia produtiva e impulsionar o crescimento do setor em nosso estado”, afirma o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leonardo Rezende.

 

“A pecuária é um dos principais motores do desenvolvimento econômico de Goiás, gerando empregos, renda e impulsionando diversos setores da economia. O recorde no abate de bovinos reforça a importância do setor para o estado e destaca o potencial de crescimento da cadeia produtiva”, complementa Rezende.

 

O cenário positivo se estende a nível nacional, com o abate de bovinos atingindo a marca de 9,30 milhões de cabeças no primeiro trimestre de 2024, um aumento de 24,6% em relação ao mesmo período do ano passado e 1,6% superior ao quarto trimestre de 2023. Esse número representa o maior da série histórica, iniciada em 1997.

 

Em relação ao mesmo período de 2023, foram 1,84 milhão de cabeças de bovinos a mais no 1º trimestre de 2024, com aumentos em 23 das 27 unidades da federação. Os incrementos mais significativos ocorreram em: Mato Grosso (+420,07 mil cabeças), Goiás (+263,41 mil cabeças) e São Paulo (+219,41 mil cabeças).

 

OUTROS CRESCIMENTOS

O crescimento do abate de bovinos também impulsionou a aquisição de couro, que registrou um aumento de 47,1% no primeiro trimestre de 2024 em relação ao mesmo período do ano anterior, totalizando 1,4 milhão de peças. Goiás se destaca como o segundo maior receptor de couro cru para processamento no país, com uma participação de 15,5%.

 

A produção goiana de ovos de galinha também apresentou resultados positivos, alcançando 58,6 milhões de dúzias no primeiro trimestre de 2024. O volume representa um crescimento de 1,4% em relação ao mesmo período de 2023 e 0,5% em relação ao último trimestre do ano anterior. Com esse resultado, o estado se aproxima do recorde histórico de produção, registrado no terceiro trimestre de 2023.

 

SOBRE A PESQUISA

A pesquisa do IBGE fornece informações sobre o total de cabeças abatidas e o peso total das carcaças para as espécies de bovinos (bois, vacas, novilhos e novilhas), suínos e frangos. A coleta de dados ocorre trimestralmente em estabelecimentos de abate sob fiscalização sanitária federal, estadual ou municipal, com discriminação mensal dos resultados.

Publicidade
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe um Comentário

CIDADES

PLANTÃO POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

MAIS LIDAS DA SEMANA